Neutralização

Constantemente, a TV e os jornais noticiam a morte de milhares de pessoas em tragédias como tsunamis, furacões, secas arrasadoras, chuvas catastróficas, enchentes, alagamentos e ondas de calor. De acordo com a ONU, nos últimos trinta anos, as catástrofes naturais vêm aumentando numa taxa média anual de 6%. De 1996 a 2006, mais de 600 mil pessoas morreram e 2,4 bilhões tiveram suas vidas afetadas por desastres naturais. Mas por que essas catástrofes são mais constantes agora? Por simples capricho da natureza? E por que temos que nos preocupar com isso? Afinal, argumentam alguns, o Brasil é um país seguro e essas tragédias só acontecem em lugares distantes…

Na verdade, não é bem assim. Os desastres a que temos assistido são um alerta do planeta, um grito de socorro. O aquecimento global é uma triste realidade e ninguém está livre de suas consequências. A temperatura da Terra vem subindo devido ao desmatamento e à queima de combustíveis fósseis, que liberam gases de efeito estufa, como o CO2. Desde 1800 para cá, a concentração de dióxido de carbono na atmosfera cresceu 30%. E o ritmo desse crescimento é impressionante: de 150 anos para cá, o gás propagou-se 200 vezes mais rápido que nos últimos 650 mil anos.

Apesar dos maiores emissores de CO2 serem as nações desenvolvidas da Europa e América do Norte, os chamados países em desenvolvimento sentirão de maneira mais intensa os efeitos negativos do aquecimento global. Isso porque essas nações contam com menos recursos financeiros para lidar com problemas naturais e decorrentes surtos de doenças.

Como conter isso? O ideal seria parar de emitir carbono, o que, infelizmente, não é possível. Mas há outras maneiras de se diminuir as quantidades de CO2 na atmosfera. Plantar árvores é uma delas. As árvores são fundamentais para o equilíbrio do meio ambiente, pois garantem a renovação do ar que respiramos, além de promover a fixação do solo, o sequestro de nitrogênio e carbono, a produção de alimentos e de matéria orgânica. A forma mais comum de sequestro de carbono é aquela naturalmente realizada pelas florestas. As árvores são o grande símbolo de uma ação preventiva ou recuperadora de áreas degradadas. Na fase de crescimento, elas demandam uma quantidade muito grande de carbono para se desenvolver e acabam tirando esse elemento do ar.

A fotossíntese é um processo natural, que ajuda a diminuir consideravelmente a quantidade de CO2 na atmosfera. Cada hectare de floresta em desenvolvimento é capaz de absorver de 150 a 200 toneladas de carbono. Promovendo a neutralização das emissões de carbono, promove-se, também, a melhoria geral da qualidade de vida da população. Por essa razão, o plantio de árvores é uma prioridade para o IBF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *